Menu fechado

100 anos do nascimento da escritora ucraniana naturalizada brasileira Clarice Lispector

Em 10 de dezembro de 1920, nascia numa pequena aldeia da Ucrânia uma das maiores escritoras de seu tempo: Clarice Lispector, a mais recifense de todas as ucranianas! Hoje, para comemorar a vida de Clarice no dia em que completaria 100 anos, escolhemos alguns livros para diferentes gostos e públicos apreciarem sua obra, que a tornou reconhecida como uma das principais autoras do país. 

Vale destacar: romances, poesias, contos, crônicas e até livros infantis fazem parte dessa carreira privilegiada.

Se gosta de crônicas, “Clarice na Cabeceira: crônicas” é uma coletânea especial.

Se está em busca de um romance, as indicações são: “A Paixão Segundo G.H.” e “A Hora da Estrela”. Enquanto o primeiro traz um monólogo existencialista a partir de um relato do cotidiano, o segundo é o último romance da autora, num relato sobre a realidade brasileira e suas diferenças sociais. 

“Felicidade Clandestina” é a pedida certa se você se interessa por contos. O livro traz uma coletânea de 25 contos de Clarice, entre os quais o misterioso “O Ovo e a Galinha” e “Uma Amizade Sincera”, que se aprofunda em uma amizade narrada da infância à vida adulta. 

Para apresentar Clarice a uma geração mais nova, o livro “O Mistério do Coelho Pensante e outros Contos”. Por fim, temos ainda sua versão de “O Retrato de Dorian Gray”, de Oscar Wilde, e “Entrevista com o Vampiro”, de Anne Rice, ambos traduzidos e adaptados pela autora.

Clarice atuou como jornalista e foi lida de várias maneiras.  Diziam que sua escrita continha algo de misterioso, profundo, intimista, cheia de discursos de alma, e, até hoje, muito atual. Clarice foi várias vezes considerada um gênero à parte da literatura.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.